quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Cordel do Arruda

Contra o Arruda, arruda na orelha
Raimundo Nonato Silva

O José Roberto Arruda
Pego com a mão na massa
Seria o vice de Serra,
Que é uma outra desgraça
Se a coisa continuar
Vai faltar DEMO na praça.

Arruda pra quem não lembra
É aquele que foi flagrado
Com o canalha ACM
No episódio lembrado
Por todos como a fraude
Do tal "painel do senado”.

Ele na época era líder
Do governo FHC
Que comprou os deputados
Para se reeleger
Renunciou entre prantos
Pra ninguém o prender.

Era o P S D B
O seu partido de então,
Parceiro de Sérgio Naia
E outros éticos de então
Foi para o P F L
Recebeu uma promoção.

Saiu na revista Veja
Nas tais páginas amarelas
Mas para sair ali
Desembolsa a bagatela
De 400 mil mangos
Pra revista “Zé ruela”.

Explico: ele comprou
Sem qualquer licitação
400 mil da Abril
E daí a rasgação
De seda da tal revista
Para o político ladrão.

Agora o tal Arruda
Esperneia, baba, mija
Só porque foi apanhado
Com a boca na botija
Aponta pra José Serra
Diz: Careca não se aflija.

José Serra que também
Não é flor pra se cheirar
Haja vista o Roubo-Anel,
No povão a desabar
E o buraco do metrô
Sobre o qual não quer falar.

Não esqueça Yeda Crusius,
A raposa lá do sul
Protegida pela mídia
Que enxerga tudo azul
Enquanto o Rio Grande afunda
Num asqueroso Paul.

Arruda já prometeu
Dizer tudo o que ele sabe
Já disse que enviou
Bufunfa para o Kassab
E que o Roberto Freire
Disso também não se gabe.

No Distrito Federal
Diretora de uma empresa
Acusa Augusto Carvalho
De tomar parte em torpeza
Secretário de saúde
Do PPS é certeza.

Segundo essa diretora,
O montante desviado
Em parte a Roberto Freire
Era na hora enviado.
Grana do propinoduto
Por Arruda instalado.

O tal Durval que está
Até o pescoço imerso
Já responde na justiça
A mais de trinta processos
É o grande articulador
De um esquema tão perverso.

Cadê Agripino Maia
Refugo da ditadura?
Cadê Heráclito Fortes
Tão hedionda figura?
É o boca de sovaco
A mais feia criatura.

Esse Heráclito é chegado
Também a fazer trambique
Por funcionária fantasma
No seu gabinete chique
Tinha a filha do déspota
Maior, o Fernando Henrique.

Agora o caldo entornou
Mesmo com a mídia comprada
Arruda será cassado
E com arma disparada
Levará para o abismo
Toda a quadrilha montada.

Roberto Freire, Zé Serra
Heráclito e Agripino
Kassab e outras moléstias
Terão o mesmo destino
E o Brasil ficará livre
Desse grupo tão ferino.

7 comentários:

QuebraCabeça ou EsteLadoParaCima disse...

Muito bom, maravilhoso!!! Eita povo rápido pra fazer rima-denúncia.

Assis disse...

Graaande Carvalho, bela rima! Como vão as coisas por aí na terra do sol? Talvez esteja por aí em janeiro. Parabens pelo blog.
Assis

Assis disse...

Vamos transformar esse blog num ventilador pro Arruda!

Anônimo disse...

Bom demais, Inácio. Os cordelistas de hoje são conscientes. Seguem a tradição de Leandro Gomes de Barros e Paulo Nunes Batista. Gostei!

maria disse...

Muito bom Inácio!!!!!

Não fosse o conteúdo verídico e vergonhoso da história política desse Pais ...

Gledson Vinícius disse...

É meu caro, de bom mesmo só a sagacidade de suas palavras... Mais um escândalo!
Quando quiser pode dar uma passada na minha tenda virtual, lá escrevo alguns contos (singelos).

Att:
Gledson Vinícius da S. Machado
www.poraodogv.blogspot.com

Fhillipe disse...

Rsrsrsrs. Nada como um jeito cearense de contar a realidade. Adorei esse cordel Carvalho, parabéns pelo blog.
Fhillipe Araújo