domingo, 31 de outubro de 2010

Dilma, Presidenta do Brasil!

Brasil bonito, só com Dilma

Charge: Márcio Beraldi

De lado você quer sambar?

Mulher, é sapiência

Eu já havia postado esse belo vídeo, sem nenhum texto quando vi a seguinte postagem no twitter da jornalista Hildegard Angel: "Vou vestida de vermelho, vou feliz, leve e contente, vou resgatar o sofrimento de minha família!!!".





É isso, cara jornalista, há muitas mulheres a serem lembradas, aliás todas as mulheres aqui devem ser lembradas e homenageadas neste dia histórico, de grande vitória da nossa nação, para o regozijo de nossa gente que merece viver e amar.

sábado, 30 de outubro de 2010

Dilma é garra!

"Aos milhares de jovens que não se renderam à ditadura, pegaram em armas ou não, mas não se sujeitaram aos absurdos de um governo de excessão. Meu mais absoluto respeito e agradecimento. Devemos à eles, o pouco da lucidez que ...adveio de um período obscuro da nossa história. Foi a Idade Média, a idade das trevas para os incautos, da história brasileira. Foi essa galera que segurou o rojão e que hoje nos permite gritar em alto e bom som nossas idéias, sem temer ser repreendido ou suprimido. As novas gerações precisam descobrir este período da história para se orgulhar de tão bravos jovens abnegados, que enfrentaram poderes imensamente maiores. Não lutaram por dinheiro ou fama. Lutaram apenas para nós hoje pudessemos ser LIVRES." Fergus Gallas

Ensina-me a viver


Foto: Ricardo Stuckert

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Pra ver, ouvir e dançar



Nazareth - Grupo Corpo

Não chore por mim


"Kirchner era para mim mais que um presidente, era um companheiro, e comigo ajudou a construir a América do Sul e a América Latina que temos hoje" Lula



Néstor Kirchner: o homem que peitou o FMI e a banca internacional

A morte, súbita e inesperada, do ex-presidente da Argentina e secretário-geral da Unasul, Néstor Kirchner, causou forte comoção não só por lá como em toda a América Latina. E não é para menos. Kirchner foi firme na defesa dos direitos humanos e punição dos militares golpistas cujo regime deixou um saldo de 35 mil mortos e desaparecidos e, com a moratória da dívida externa, resgatou a Argentina da depressão econômica e abriu caminho a uma extraordinária recuperação.





quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Lula e Dilma

Lula e Dilma
Janice Japiassu

O sol está claro
E a sombra nítida
Agora é possível escalar a Vida

As palavras estão limpas
E a verdade clara
Agora é possível encontrar a Alma

(Mas há os que reclamam da lua
Porque se acostumaram à noite escura
E há os que odeiam a folia
Com medo da alegria)

O dia nasceu
O sol é nosso

(Mas há os que se habituaram às suas ausências
Com medo do Poder da Presença)

A felicidade chegou
A paz é possível
E porque tudo caminha
E o sonho vive

(Eles não podem mais recitar
seus poemas tristes)

E porque a hora é esta
Todo mundo vai pra Festa!...


quarta-feira, 27 de outubro de 2010

#parabénsLula

Arte: Marcílio Costa
Hoje o Lula faz 65 anos, por sinal uma idade muito legal. No Brasil inteiro o povo vai fazer festa pra esse cara que mexeu com a nossa vida e por isso é muito popular. Ele deixou a gente mais feliz, não teve medo de acreditar que esse país deveria viver um momento novo, nunca vivido na sua história. Nem vou listar aqui as coisas boas que foram feitas e muitas que poderão ser feitas, mas quero dizer que tem uma que vale bem muito, não se mais que as outras, mas vale demais: a autoestima. Lula cutucou legal esse nosso orgulho de ser daqui, desse pedação da terra latina americana, pra acabar com essa mania feia de dizer que nos Brasil as coisas sempre são feitas da pior maneira, com um jeito mal feito. Aqui continuamos a mesma gente boa, uma mistura dos povos do mundo, uma gente que "canta e é feliz", que faz a vida brotar melhor a cada dia e que trata todo mundo bem, mas num leva desaforo pra casa.

Na festa do Lula todo mundo tá falando em dar pra ele um presente, que só será entregue no domingo. Combinado, Seu Lula, vamos eleger a Dilma, a candidata que só você poderia ter sugerido, mas que agora é querida no Brasil inteiro. Mas num pense que vai ficar com esse presente só pra você. Vamos dar, mas vamos querer pra gente também e até pra quem não vai votar nela, que é pra ninguém ficar triste e o Brasil seguir mudando pra todos. Combinado?

Sem medo de ser feliz, com Dilma lá

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Não deu pra segurar

Dilma chamegando com o povo na praça
Eu já sou o que se chama por aí de "macaco velho" em campanhas eleitorais. Desde de 1982 que me envolvo em todas as campanhas. Antes no "tempo das políticas" lá de Sobral, eu me lembro com perfeição do "Apolo Quinca", de 1970, quando o Joaquim Barreto Lima, o Quincão, foi eleito prefeito da metrópole.( letra do jingle: "Cesário Barreto não brinca, ele indicou, o homem é o Quinca"), depois, lembro da campanha de 1976 que elegeu Dr. Zé Euclides, sucessor do Zé Prado, um mito da política sobralense. (letra do jingle: "É de Zé pra Zé, pe Zé que o povo quer, mantendo a tradição, Sobral de Dom José".).

Pois é, já tô na estrada desde menino. Um dia ainda conto uma cena fantástica que vi na eleição de 1976, mas por enquanto vou deixar você só na vontade. Até porque hoje vi cenas de incrivel beleza e emoção no coração de Fortaleza, que recebeu Dilma com um carinho enorme. A Praça do Ferreira parecia um formigueiro de gente, em pleno meio dia, com um solzinho danado de quente torrando o miolo da gente. Mas ninguém saia de lá, no máximo buscava uma sombrinha debaixo duma árvore ou duma marquise. Turma de amigos, colegas de trabalho, vizinhos, pai, mãe e filho, transitavam pelo meio da praça esperando a Dilma chegar. Ninguém sabia por onde ela vinha, mas sabia que quando ela chegasse a correria ia ser grande demais.

Lá vem ela! Não dava pra acreditar que aquela gente toda tava vivendo uma emoção tanta grande. Era nego atrás de ver a Dilma, tudo que era celular batendo foto, filmando, aumentando as formas de guardar ainda mais emoção. Arrumei um lugar em cima dum carro (uma Veraneio, velha como minhas lembranças ali em cima) de som e lá de cima, junto com minha Sonynha H9, registrei  o chamego da multidão com a Dilma, que mostrou, ao vivo, o quanto é belo e verdadeiro seu sorriso. Fiquei encantando quando vi pelo olho da Sonynha que ela olhou pra mim e ao invés de apertar o botão, falei com Dilma e perdi uma foto olho no olho. Fazer o que? Sem foto, mas cheio de emoção, enxuguei as lágrimas e fui atrás de outras fotos.

Cid Gomes dá exemplo

Esse cidadão aí da foto, breado de suor é Cid Gomes, atual governador do Ceará, em plena campanha para eleger Dilma Rousseff, a primeira mulher Presidente da República do Brasil. Cid foi pro cruzamento de duas avenidas muito movimentadas de Fortaleza e por ali ficou por mais de três horas adesivando veículos  e pedindo votos. Conseguiu até mudar o voto de gente que antes apoiava o candidato da direita, tratou com muito bom humor uma provocação feita por um grupo de eleitores do Serra e conquistou o coração de dezenas de militantes que participaram do "adesivaço".

O exemplo de Cid Gomes deve inspirar muitos que não sentem a necessidade de ir às ruas, mobilizar o povo, conquistar o voto e o apoio efetivo para Dilma. Tem gente, inclusive militantes com longa estrada, que diante da ação de Cid ficou meio boba, olhando com admiração. Essa foi mais uma das muitas iniciativas do governador, disposto a sossegar apenar depois do segundo turno. E mais, promete 80% dos votos cearenses para Dilma, que no primeiro turno teve por aqui 66,3%. Isso significa dizer que Serra poderá ter uma votação pequena, ou até menor do que antes.

Neste segundo turno Cid já promoveu manifestações em várias cidades, reuniu lideranças políticas, segmentos sociais, prefeitos de todos os partidos e tá na rua até o último dia de campanha.

É isso aí, mirem-se nesse exemplo.

Veja aqui mais votos do adesivaço.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

O sujo e o mal lavado

O logo mais ex-senador e desde já ex-todo poderoso chefão tucano, Tasso Jereissati foi lá pro Rio de Janeiro participar do passeio em Copacabana organizado pela turma do Serra, com a presença de mil "convidados voluntários" trazidos de Minas Gerais e Duque de Caxias. Lá andou soltando a língua venenosa, mas já sem muito efeito depois da surra que levou aqui no Ceará. O vendedor de coca disse que "o país que está aí é o país do mau caratismo, da falta de ética". Se vale o ditado "diz-me com quem andas e te direi quem és", ele sabe muito bem sobre quem tá falando.

Maluquinho pela Dilma


O Menino Maluquinho, aniversariante de ontem, não tem nada de bobo
 e também abraçou a Dilma junto com o seu papai, o Ziraldo.

Serra vai pro debate da Record vestido de Alckmin

Na campanha eleitoral de 2006, o debate sobre as privatizações também pegou os tucanos de mal jeito no segundo turno. Os emplumados fizeram de tudo pra se livrar da pecha de terem desmontado o patrimônio nacional, de terem retirado grande parte das possibilidades do estado brasileiro impulsionar o desenvolvimento nacional através das empresas estatais e dos bancos públicos. É só dar uma olhada no papel que jogaram o Banco do Brasil, a Caixa Econômica, o BNDES e a própria Petrobras na hora em que a crise capitalista bateu forte na porta do Brasil em 2008. Se tivessem privatizadas no governo anterior, o Lula não teria como livrar o Brasil da tal crise. Naquela eleição, o Alckmin chegou a se vestir, pateticamente, com uma jaqueta cheia de logomarcas das estatais. Mas a aparência nada tinha a ver com a essência.

Agora o tema volta de novo e os tucanos, de novo, tentam se livrar da má fama de vendilhões da pátria e buscam jogar a privatização pra cima do Lula e da Dilma. Mas o povo não é nada bobo e sabe o mal que o PSDB fez. Na tentativa de reverter a situação nada favorável, Serra vai falar que o Petrobras foi vendida pra empresas estrangeiras, que o governo Lula não topou desprivatizar a Vale, que o Dutra e o Palocci elogiaram a privatização das telecomunicações, etc e tal. Mas o fato concreto, inegável, é que no debate desta eleição o que está sendo discutido é o mal que significou o desmonte quase total do estado nacional feito pelo FHC e planejado pelo Serra. É isso que está em discussão e é o que eles tentam esconder.

Inclinações eleitorais

Em sua saborosa música Inclinações Musicais, Geraldo Azevedo canta que havia muita música na cabeça de quem inventou o amor. Parecido com isso são as eleições. Antigamente quase toda música de campanha eleitoral era uma paródia de algum sucessos musical. Devo ressaltar que lá em Sobral o Pedro Lavandeira só fazia jingle com letras e músicas originais, nada de paródia. Uma delas, feita pra campanha de 1976, quando o Zé Euclides, pai do Cid e do Ciro, sucedeu o Zé Prado, dizia assim: "É de Zé pra Zé, é Zé que o povo quer, cumprindo a tradição Sobral de Dom José". 


Então, a eleição deixa a criatividade solta e nessa já tem muita coisa boa. Veja essas três e se soube de mais alguma é só mandar:

"Quando se conhece bem uma pessoa, a gente sabe que não é gente boa. Com Serra essa certeza a gente tem, Serra é do DEM, Serra é do DEM".


"Ó Minas Gerais..ó Minas Gerais..voto na Dilma no Serra Jamais.. Ó Minas Gerais"


"Deixa Dilma me levar, Dilma leva eu. Deixa a Dilma me levar, Dilma leva eu. Sou feliz e voto 13 por tudo que o Lula me deu. Deixa a Dilma me levar, Dilma leva eu".

Forró pra Dilma

Na campanha eleitoral Seu Ribamar entregou pro deputado Chico Lopes um CD com duas músicas, uma proposta de jingle pra campanha do próprio parlamentar, que já tinha o seu e não pôde aproveitar a doação, e outro pra Dilma. Um forró gostosinho, com uma letra bem simples, direta, falando da melhoria que Lula fez na vida povo e que a Dilma vai continuar. Hoje dei de cara com um "clip" da musica no YouTube e sugiro que você o assista. Se não entender direito a letra, ela tá logo ali embaixo, do jeitinho que o compositor a fez.




Voz do povo, voz de Deus
José Ribamar De Sousa

O sofrimento era demais, o pobre não tinha direito a fogão à gás, foi o Lula "qui" salvou, pobre hoje tem fogão e computador.
Digite 13, queremos Dilma. Queremos Dilma para nossa presidente, queremos Dilma, digite 13(treze). 13 (treze) nos leva muito além de emergente.
Obrigado Lula, muito obrigado. Lula obrigado pela continuação.
Agradeçemos logo antecipado, ao grande ícone de sexta dimenssão.
Alô G8, estamos chegando, somos mais "UM" que chega para somar. Democracia te polinizando, com "nove" fora "pr-a" desmonopolizar.


Imagem que fala

Cid e Luizianne num papo descontraído
Essa foto descontraída do Cid Gomes com a Luizianne Lins foi feita durante uma reunião que definiu a programação conjunta da campanha da Dilma nesta última semana, inclusive a caminhada com a candidata na próxima 3ª feira, no centro de Fortaleza. Enquanto eles se reuniam, circulava a edição do jornal O POVO de ontem onde a falta de afinação entre governador e prefeita, que também são presidentes do PSB e do PT no Ceará. Ao mesmo tempo, eu e o jornalista Érico Firmo, do O POVO, batíamos um papo, via twitter,  sobre a cobertura do jornal, que eu acho parcial, em relação a essa relação entre as duas lideranças políticas e outros acontecimentos políticos recentes.

Preciso dizer que acho um tanto quanto infantil o comportamento de Luizianne, quando sumiu da campanha eleitoral majoritária no Ceará e insistiu para que ela fosse a coordenadora da campanha da Dilma no Ceará. Pois se foi, não coordenou nada, já que não havia campanha expressiva no Estado. O que se vou de fato foi uma concentração nas campanhas estaduais e quando se via Dilma era nos materiais de campanha de candidatos. Isso é um fato. Culpa da Luizianne? Não. Acho que um certo "salto alto" da campanha nacional e  a maior prova disso é que quando o segundo turno caiu no colo da coordenação nacional da campanha ninguém sabia o que fazer. Na conta da Luizianne deve entrar o fato da votação da Dilma em Fortaleza ter sido a menor. Só teve mais do que em Viçosa do Ceará, onde o Serra ganhou por 2% de vantagem.

Mas agora o momento é outro e é o que diz essa foto. Agora é Dilma que deve estar no centro das atenções.  Toda energia deve ser gasta pra eleger a candidata que vai manter o Brasil no rumo certo. As divergência não foram e nem devem deixar de existir, afinal a diversidade é um fato alvissareiro de nossas vidas. Mas eles não podem suplantar as necessárias convergências, especialmente quando está em jogo tanta coisa importante.

Bom, essa imagem foi postada no final da tarde de sábado no blog Ceará Vota Dilma 13 e não vi um só veiculo de comunicação do Ceará que a considerasse relevante. Publicaram fotos da mesma ocasião, mas da reunião ainda em curso. Veja aqui outras fotos até mais descontraídas.

Um jogo que vale o futuro do Brasil


Hoje li um excelente artigo do economista Cláudio Ferreira Lima onde ele apresenta quais são as questões fundamentais que estão em disputa nessa eleição. Enquanto a campanha do Serra, sintonizada com a chamada "grande mídia", foge do debate programático e prioriza temas de menor importância, o que de fato interessa fica escondido. Vale muito a pena ler o que diz o Cláudio.



Cláudio Ferreira Lima - As forças em jogo 


Nesta campanha para a Presidência da República, mais do que nas passadas, uma cortina de fumaça encobre as forças em jogo. Recuemos no tempo para lançar luz sobre os dois projetos em disputa.


Darcy Ribeiro, interpretando a caminhada brasileira, assim se expressa: “Por que o Brasil não dá certo, mesmo com tanta riqueza, com tanta arte? Porque nunca existiu para seu povo, sempre existiu para o comércio internacional”.

Eis aí retratada quase toda a nossa história. Só fugimos desse padrão por breves anos, no período 1930-1980, quando começa de fato a construção nacional. Depois, a década perdida e os anos 90, quando, conforme Celso Furtado, a construção de um sistema econômico nacional é interrompida e, com isso, os líderes locais tornam-se “liquidatários do projeto de desenvolvimento que cimentou a unidade do país e nos abriu uma grande opção histórica. (...) O dinamismo do mercado interno, que durante meio século contribuiu para consolidar a unidade nacional, já não desempenha a função de motor do nosso desenvolvimento”.

Histórias de Xarás

Uma prosa boa entre dois Inácios
Na última sexta feira foi parado numa blitz do Detran. Tudo beleza no carro, mas notei que o fiscal examinava com mais rigor minha carteira de motorista. Olhou pro documento e pra mim várias vezes. Chegou a tirá-la do envelope plástico e perguntei se a foto 3x4 do meu filho Guilherme, que nunca sai de lá, tava atrapalhando. Ele negou e disse que tava curioso com meu nome. Já fui logo dando rindo e confirmei que meu nome tinha sim o Arruda também. Ele perguntou se eu era Inácio Arruda, o senador comunista do Ceará, e já foi logo dizendo que tava me achando diferente. Rimos juntos e a vida seguiu. Essa é mais uam das muitas histórias desses dois comunistas homônimos, que vez por outra se tratam como Xará, forma que a Teresinha e parte da família do Inácio me tratam carinhosamente.

A primeira história curiosa foi em 1982, quando foi criado em Fortaleza o Comitê de Solidariedade ao Povo de El Salvador, que sob a liderança da FMLN, atual partido dirigente do país, construia sua revolução. Os dois Inácios participavam das reuniões, assim como muitos outros pessoas, entre elas o professor Reynaldo Cuê, cubano de origem. Pra inibir a iniciativa a Polícia Federal instaurou um inquérito para tentar expulsar o professor. Vários participantes do comitê foram chamados a depor e a todos era perguntado quem era o Inácio, representante da Tribuna Operária. Ninguém dava detalhes e até nem lembrava direito o nome das pessoas. Ninguém facilitava a vida da repressão, como mostrou Dilma. Resultando, nenhum dos Inácios foi chamado, porque os caras não sabiam qual deviam notificar.

Noutra ocasião, Inácio Arruda era deputado estadual e eu seu chefe de gabinete. Certa vez fui ao Banco do Brasil pra pegar um talonário de cheques pra mim e o bancário que me atendeu disse que somente o titular poderia pegar. falei que eu era o titular e ele insistiu que não, já que o titular verdadeiro era o deputado estadual. Tive que mostrar minha carteira de identidade para provar que eu era eu mesmo.

Inácio e eu trabalhamos juntos, em diferentes mandatos que ele exerceu, e de tanto as pessoas chamarem por um Inácio, alguém perguntava: "o Arruda ou o Carvalho?". Ele ficou mais com o nome, eu com o sobrenome e nossa amizade já tá perto de completar 30 anos.

domingo, 24 de outubro de 2010

Dilma leva eu

Deve ter pouca coisa melhor do que uma roda samba animada, com todos os acompanhamentos líquidos e sólidos necessários. Quando uma turma se junta pra sambar a alegria sobra e a criatividade se solta. Neste vídeo curtinho alegria e criatividade se juntaram pra gente se deixar levar pela Dilma, uma brasileira de sorriso bonito, que vai deixar o Brasil mais feliz ainda.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Põe na mente



POEMA DA MENTE
Affonso Romano de Sant`Anna


Há um candidato a presidente que mente, 
Mente de corpo e alma, completa/mente.
E mente de maneira tão pungente
Que a gente acha que ele mente sincera/mente,
Mais que mente, sobretudo, impune/mente... 
Indecente/mente, desavergonhadamente.

E mente tão nacional/mente, com o apoio da mídia GLOBOalmente
Que acha que mentindo história afora,
Vai nos enganar eterna/mente.

Acrescento que não só mente, mas quer chegar ao Planalto custe o que custar,
quer trazer um passado triste, que matou sonhos e conspirou covarde\mente
contra os mais pobres e miseráveis e que agora se diz querer a todos que
vivam decente\mente, democraticamente...,
e quem quer crer nesse presidente SERRA, que creia, mais só crê nisso quem for de\mente.
Honestamente deprimente, indecente.

Boa fé

Minhas últimas postagens envolvem a religião como tema de campanha eleitoral, uma coisa que não caberia de modo algum já que o estado brasileiro é laico. Mas numa combinação bem ajustada entre a, bem denominada pelo Messias Pontes, "mídia venal e golpista" e campanha direitosa do Serra, transformou padres, pastores, bispos, missionários, beatas e coroinhas em personagens atuantes da campanha. Nada contra, já que como animais humanos, são também animais políticos, como diria o velho Aristóteles, mas daí é querer impor uma crença, ainda mais na sua versão mais obscurantista, é forçar demais a barra. Felizmente há religiosos que reagem a essa bandalheira, como fez o frade Francisco Gonçalves no último sábado quando deu um cagaço  no Serra, no logo mais ex-senador, Tasso, e no "fim melancólicode carreira" Lúcio. Escute aí o que disse o honrado religioso, que não teme cara feia.


Fé bandida

Bandidagem! Foi o que disse minha Fernanda depois que assistimos a reportagem sobre a gráfica que imprimiu panfletos contra Dilma, em nome da CNBB Regional de São Paulo. Vou dizer aqui uma coisa, respeito muito a opção religiosa de qualquer pessoa, agora daí a utilizar essa opção pra atingir covardemente outras pessoas, pra desvirtuar um momento histórico que envolve todas as pessoas brasileiras, isso é mesmo pura bandidagem. Outro dia um devoto do Serra me falou que gostaria de ser santo. Disse isso com muita convicção e eu sei que ele tem porque o conheci como seminarista lá em Sobral. Acho legal que alguém busque algo que imaginamos ser até impossível, agora, buscar o céu encaminhando outros pro inferno como fazem esses religiosos que agridem de maneira vil  Dilma, não dá pra aguentar.

Pois junte esses religiosos de fé bandida ao que há de mais podre na política brasileira e você tem a candidatura cínica do Serra. Na reportagem que você verá abaixo o candidato da direita brasileira tem a cara de pau ( essa é uma das mil caras que ele mais gosta) de achar mera coincidência que a gráfica que imprimiu os panfletos contra Dilma seja de uma mulher filiada ao PSDB há quase 10 anos que ainda é irmã de um dos coordenadores de sua campanha.  Desse jeito, Serra, não vai ter óleo de peroba que chegue.

Agora vamos deixar de lero que tá na hora de assitir esse vídeo que só vai ser visto agora na internet, porque eu duvideodó que alguma outra emissora fale sobre essa cretinice de uns demoníaos católicos tucanos.

Com Dilma, só tem gente boa

Olhe só quem tá com Dilma. Assista o depoimento do Chico Buarque e aguarde um pouco pra ver os próximos na lista do You Tube. Tem Alceu Valença, Fernado Morais, Leonardo Boff, Cristina Pereira, Antonio Pitando e outros mais. Veja que boas companhias tem nossa futura Presidente.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Escute Tasso agredindo um padre

Guarany, emoção desde menino

Eu era um menino mais novo do que meu filho Guilherme quando vi de perto, pela primeira vez, o time do Guarany de Sobral. Estudava na Escola N. S. de Fátima, da Dona Maria José Carneiro, que funcionava na casa dela, ali na Praça da Igreja de São Francisco, pertinho da minha casa. Bem ao lado da escola tinha o Centro Estudantil Sobralense (CES), que foi demolido pra construção da Teleceará e hoje, depois da privatização das telecomunicacões, nem sei mais o que funciona lá. No CES tinha uma quadra onde o time do Guarany ia treinar e foi lá que conheci os guerreiros do Cacique do Vale, entre eles o Teco Teco, o jogador mais querido da história do time e que depois o encontrei novamente, agora já como primo do Pauleca, casado com minha prima, madrinha e irmã de fato, Isabel. Lembro de outros nomes daquele time que seria campeão do 1o. turno do Campeonato Cearense de 1970, vencido pelo Ferroviário, dos meu amigos Chico Lopes, Dalwton, Edson e Aguinaldo. O goleiro era o Ademir, um cabra altão diante daquele miúdo que eu era, e lembro também do Jaldemir, talvez mais por seu nome original do que por alguma jogada.

Em 2010 o Guarany fez bonito no Campeonato Cearense e agitou meu coração. Disputou as finais dos dois turnos do campeonato, contra o Ceará e o Forteleza, e foi o time que somou mais pontos, portanto seria campeão se a regra fosse a mesma dos campeonatos brasileiro, espanhol, português, francês, inglês, alemão, italiano e outros. Mas como a cartolagem daqui gosta daqueeeles tempos, acha melhor deixar as coisas como estão e assim só podem campeões os chamados "times grandes". Neste domingo o Guarany mexeu com a alma da sobralada toda e se classificou para o Campeonato Brasileiro,  Série C. É pouco? É naaaada! Você nem imagina como é difícil esse feito prum time em condições tão difíceis de continuar até existindo. Sujeito a interesses muito particulares, em algumas situações serviu para beneficiar interesses empresariais, políticos e até familiares. (os mesmos que levam alguns a pensarem em criar outro time na cidade). Nisso o nosso time é igual a praticamente todos do Brasil, mas como é o meu time, particularmente eu gostaria que fosse muito diferente. Critico porque é o meu time. A exemplo de Brecht, com sua aldeia, posso falar mal do meu time, mas não deixo que ninguém que torça outro fale nada contra o "bugre sobralense".

Vantuir é simbolo da garra do Guarany
Começo a semana vaidoso. Quero cumprimentar o time todo, mesmo que não saiba a escalação, conheça apenas de vista o goleiro Vantuir, que completou 80 jogos no time na mesma data desse feito. Aliás sou um torcedor muito desinformado não apenas sobre o Guarany, mas também sobre o Botafogo e o Santos, apesar dos três estarem bem na fita atualmente. Tenho emoções por alegria e tristeza, mas sou contido. Nem a camisa dos meus times tenho, apesar de hoje ter a Celeste do Botafogo, por conta do Loco Abreu e a beleza de participação do Uruguai na Copa da África. Já tentei algumas vezes adquirir uma do Guarany, nunca consegui, mas desta vez vou ser mais persistente. Voltando aos cumprimentos, vai um abraço pros meu sobrinhos Rodrigo, Alexandre e Pedro Vitor, que certamente estavam no Juncão hoje, assim como o Diego, filho do meu velho amigo Antonio Henrique "Potin", o Isaías "Lampeão" e por seu intermédio abraço todos os amigos que devem ter feito uma bela festa em Sobral. Fiquei aqui só na vontade, mas muito feliz. Por fim deixo um aviso pro Luciano Filho, meu irmão, para que se decida direito nos jogos entre o Guarany e o Fortaleza. Não negue suas origens, hein cabra!

domingo, 17 de outubro de 2010

#serramente



Com tantas caras, o Serra não usou nenhuma pra responder perguntas fundamentais, como a do emprego, da precariedade de 100 mil professores de São Paulo e sobre privatização nem se fala. Mas teve cara de pau pra defender o Paulo Preto unicamente contra um patético racismo. Só não explicou porque o dito cidadão ameaçou a tucanagem todinha. Pra mim esse é um assunto que ele não quer ver nem de longe e por isso é capaz de ter reclamado ao povo da Famiglia Frias por ter deixado a jornalista deles fazer uma pergunta tão venenosa.

Mas além de não ter falado sobre assuntos que o incomodam, Serra usou o debate pra falar coisas que teria feito, mas que foram feitas por outras pessoas. O nome disso é mentira. Veja alguns desmentidos ao que Serra diz:


1ª MENTIRA: SERRA NUNCA CRIOU O SEGURO DESEMPREGO

O seguro foi criado pelo decreto presidencial nº 2.284, de 10 de março de 1986, assinado pelo então presidente José Sarney. Sua regulamentação ocorreu em 30 de abril daquele ano, através do decreto nº 92.608, passando a ser concedido imediatamente aos trabalhadores. Já na Constituinte, o então deputado Roan Tito apresentou a proposta, que foi incorporada à Constituição Federal.


2ª MENTIRA – SERRA NÃO CRIOU o Fundo de Amparo ao Trabalhador.

O FAT foi criado pelo Projeto de Lei nº 991, de 1988, de autoria do deputado Jorge Uequed (PMDB-RS). Um ano depois Serra apresentou um projeto sobre o FAT (nº 2.250/1989), que foi considerado prejudicado pelo plenário da Câmara dos Deputados, na sessão de 13 de dezembro de 1989, uma vez que o projeto de Jorge Uequed já havia sido aprovado.


3ª MENTIRA – SERRA NÃO CRIOU OS GENERICOS

O verdadeiro pai dos remédios genéricos foi o já falecido em dezembro do ano passado,  ex-ministro da Saúde, Jamil Haddad, através do decreto-lei nº 793, de 1993, muitos anos antes de Serra ser ministro da Saúde, e antes mesmo de FHC ser eleito.

Ainda sobre os genéricos, sugiro que você se informe mais no Blog do Miro, que, entre muitas outras coisas, diz o seguinte:


"O decreto-lei número 793, que possibilitou a fabricação de remédios genéricos, é de 1993 e o seu autor foi Jamil Haddad, ex-ministro da Saúde de Itamar Franco. Antes, em 1991, o ex-deputado Eduardo Jorge já havia apresentado o projeto de lei 2.022, que proibia o uso de marca comercial ou fantasia nos produtos farmacêuticos e obrigava a utilização do nome genérico nos remédios comercializados no país. Ou seja: bem antes do trágico reinado de FHC e do seu egocêntrico ministro da Saúde, a política dos remédios genéricos já estava em pleno curso". 

Leia mais .... 

Domingo com Gilberto Gil



Quase todo mundo já deve ter visto a simples e direta declaração de apoio do Gilberto Gil à Dilma, por isso, ao invés de postar o dito vídeo, faço, neste domingo de verão, uma homenagem à ele e à você, com a belíssima Domingo no Parque, na sua versão primeira.

Bispo imundo

Tenha uma santa paciência por menos de 10 minutos e veja o que o bispo de Guarulhos aprontou contra a Dilma. Tudo filmado e postado nesse ambiente virtual da internet mas que nos permite saber de certas verdades muito concretas. Há uns tempos vários religiosos foram flagrados por violentarem sexualmente crianças, causando uma justa indignação. E o que dizer dum vagabundo que tenta violentar um país inteiro, desvirtuar uma campanha eleitoral decisiva pra milhões de pessoas. Olhe, se o inferno existe mesmo, já tá na hora de reservar um lugar pra esse tal de bispo de Guarulhos.



Esse episódio me fez lembrar uma situação idêntica, ocorrida em Fortaleza, na eleição de 2000, quando o hoje senador Inácio Arruda (PCdoB), foi candidato à Prefeito da capital. Um trabalhador gráfico avisou que a gráfica Tiprogresso, do ex-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), Luiz Esteves, estava imprimindo panfletos apócrifos contra Inácio. Chamei uma equipe do nosso programa de TV e fui no local. Despistei o porteiro e consegui entrar na gráfica onde vi uma pilha enorme - muito maior que essa da foto - de panfletos caluniadores prontos para serem lançados na cidade inteira. Consegui pegar um pacote e jogá-lo na rua. Foi o suficiente pra gerar uma grande zorra, chamei o cinegrafista, gravamos tudo, chegou imprensa, justiça eleitoral e polícia federal que encanou o donno da gráfica em flagrante. Viramos a noite editando um novo programa de TV, botamos a sujeira no ar, com direito à manchete do jornal do dia. Foi um marco na virada que levou Inácio pro segundo turno, quando ninguém acreditava na possibilidade. Detalhe: quem mandou fazer os panletos? os mesmos tucanos que espalham notas e difamacões contra Dilma.

Foto dos panfletos contra Dilma apreendidos na gráfica

Barraco na romaria eleitoral do Serra em Canindé

Um dia de muitas atividades nas ruas de várias cidades do Ceará. Foi assim o sábado de campanha pró-Dilma por aqui, como você pode conferir nas fotos da Caminhada no Centro de Fortaleza e da Caminhada das Crianças, no final de tarde da Av. Beira Mar. Mas não há como negar que foi em Canindé, em plena Basílica de São Francisco das Chagas, aos pés da imagem enorme do santo querido do povo humilde, que se deu o acontecimento de maior repercussão na campanha eleitoral.. E quem tava lá? O neobeato Serra, o zangadinho Tasso, o neoserrista Lúcio e mais uma curriola que foi lá fazer uma fezinha eleitoral.

O que se sabe do acontecido tá na internet, mas tem versão pra tudo que é gosto. Entrei num debate via twitter com um cabra que conheço há mais de 30 anos e ele disse que não foi nada do que tão dizendo por aí, o que vale é o que ele viu e contou. Fui dizer que ele não era o senhor da verdade, o sujeito arretou-se e me incluiu no rol dos seus ex-amigos. Agora me diga, vale a pena torrar uma amizade, mesmo que não seja de muita convivência, por conta dum bate boca eleitoral? Tenho comigo a felicidade de saber distinguir as coisas.

Mas num vim falar de mim, mas dos outros. Quero apenas fazer perguntas e comentários.
Homens com fé demais

Pra começar. A confusão começou porque o frade reclamou da tumulto provocando pela entrada da turma do contra na igreja em plena celebração da missa. Disse ele: “Estão atrapalhando com filmagens. Não é assim que se faz política, não. Estão atrapalhando a celebração do começo ao fim. Lamentavelmente isso é uma profanação. (...) Não me refiro a A ou B, mas àqueles que estão conversando e tumultuando. A prioridade aqui é a palavra de Deus. Se você está aqui com outra intenção, assim como você entrou, pode sair”. Agora a pergunta: o que esses devotos tucanos foram mesmo fazer na missa pra São Francisco de Canindé? Sinceramente eu não acredito que foram só pra rezar. E neste caso fico com o Marcos Cals, ex-candidato tucano ao governo estadual nas últimas eleições, que disse: É lamentável, repito, que a fé cristã sirva de motivação para outros objetivos que não sejam o da verdadeira religiosidade do povo nordestino". Tem ele toda razão, afinal o que faziam lá dezenas de pessoas com bandeiras e cartazes do Serra?

Pergunto também: se o Serra, junto com sua curriola, foi rezar em Canindé, seria pura coincidência que um tal de  Instituto Vida de Responsabilidade Social, dirigido por João Mota, candidato a deputado federal pelo PSDB nas últimas eleições, quando recebeu minguados 2274 votos, tenha distribuido milhares de panfletos  afirmava, por exemplo, que Dilma é a favor do aborto, envolvida com as Forças Revolucionárias da Colômbia (Farc) e que “nunca na história desse país houve tanta corrupção”? Quem bancou esses papéis imundos?

O frade tem ou não o direito de reclamar contra esse panfleto difamante, que mente e distorce a campanha eleitoral. O celebrante apenas buscava preservar o nono mandamento que o divino teria entre à Moisés no Monte Sinai e que diz: "Não dirás falso testamunho contra o teu próximo". Ou esses contritos cidadãos aí do retrato não sabem dessa lei?

Pelo visto o moço da extrema direita na foto, mais conhecido por essas bandas como Tasso Galeguin (pegou o beco) Jereissati,  num tá nem aí pros mandamentos que Moisés espalhou na Terra Santa. O negócio dele é mesmo com o bezerro de ouro, talvez só com o ouro. O mercador em tela chutou o balde e partiu pra cima do celebrante com gosto de gás. As leis divinas foram pro espaço, o respeito ao templo sagrado deixou de existir e o distinto nem se lembrou que era o sabath, o dia em que as pessoas devem dedicar-se ao descanso. Foi preciso que a própria esposa dele, ajudada por uma assessora, segurasse o futuro ex-senador, apelasse pra sua saúde arriscada, para que o sexagenário tucano não fizesse besteira maior do que a que já tava feita. Uma coisa de fazer corar o santo. Agora eu pergunto: diante do que o senhor Jereissati falou - O padre é petista. Tá ali com uma bandeira petista dentro da Igreja. São esses padres que têm causado problema na Igreja - o que dizer daquele bispo de nome Aldo Pagotto, que frequentou paróquias por aqui, inclusive na minha Sobral querida, que só faltou usar uma batina azul, com detalhes em amarelo e gravou um vídeo contra a candidata Dilma Rousseff?  É ele também mereceredor de uma alcunha partidária? E olhe que nem vou falar agora do bispo vagabundo de Guarulhos que mandou fazer 50 milhões de panfletos contra Dilma. O dele vem depois.

O dia já havia começado ruim pra tucanagem com a notícia nos jornais de que a pesquisa Datafolha mostrava Dilma segura com mais de 8 milhões de votos na frente do Serra. Lá no Paraná o tucano não teve como pegar o avião na hora de vir pro Ceará  e atrasou toda a agenda. E pra completar os bicudos ainda passam por esse vexame em Canindé. Nessas horas difíceis, quando os planos não saem como se pensou, o cabra tem mesmo vontade de desgarregar a raiva. Mas como diz o ditado, é preciso ter muita calma nessa hora. Mas uma calma muito menor do que a minha quando não vi nada sobre o ocorrido nos telejornais deste sábado. A TV da minha casa escapou duma hoje. 

sábado, 16 de outubro de 2010

#dilmanarua

Pai e filha na Caminhada Crianças com Dilma

Abel Rodrigues, com Dara e Virna, no Crianças com Dilma

Crianças com Dilma: gente querida se encontrou


Família com Dilma

Com Dilma pra todo canto

Dilma é alegria pra juventude

Chico Lopes e a família do Major Teófilo estão com Dilma

Pintando pra Dilma

A bela Clarissa também é Dilma

PCdoB e PDT caminham juntos pró-Dilma

Mulheres caminharam pró-Dilma

Vade retro!

Serra, o beato

O Serra se arrumou todinho pra vir pro Ceará. Vestiu-se à caráter (ou estaria só escondendo a falta de caráter?), se acompanhou do Galeguin e de suas novas companhia, o Lúcio Alcântara e o Roberto Pessoa, ambos bem posicionados como ex-DEMistas. Ao pés de São Francisco do Canindé, num deu pra esconder os pecados.

Mas a juventude da UJS, que ajudou a botar o Galeguin pra correr já preparou o material de recepção do danado. Ele que se cuide.



e, como disse hoje no centro de Fortaleza o comelô Robério Lima, "vai-te embora, Zé, que agora é a mulher!".

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

O jeito mal educado de Serra tratar os professores

Domaducarmo, minha mãe querida, ensina, como tantas outras, que o mal costume de casa vai parar na rua, por isso é preciso aprender as coisas direito pra num fazer feio no meio da rua. Pois o Serra é um cabra muito do mal educado e precisa se contido em casa, pra aprender muito mais. Anda por aí dizendo que se fosse eleito Presidente da República faria isso, faria aquilo, principalmente na educação. Pois ele tá querendo é enganar todo mundo. Gaste uns minutinhos do seu dia pra espiar a "gentileza" dele com os professores da rede estadual de ensino que entraram em greve no primeiro semestre desse ano. Depois me diga se uma sujeito mal educado desses pode querer governar o Brasil.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Um Zé, lá da Paraíba

"Vige como tem Zé 
Zé de baixo, Zé de riba 
Tesconjuro com tanto Zé 
Como tem Zé lá na Paraíba". 

Jackson do Pandeiro, na sua maestria infinita, falou que na sua terra tem Zé pra tudo que é lado. Eu, que passei uns dias por acolá junto com minha Fernanda, na casa de Rodolfo e Selma, vi Zé em tudo que é canto. Fui comer um sanduíche, tava lá o Zé Lanchonete, no calor do meio dia refresquei a goela no Zé dos Côcos, tinha um cabra com cara de "maluco beleza", a quem não fui apresentado, mas duvido que não seja Zé de Alguma Coisa. Até o governador atual e candidato do Lula a reeleição se chama Zé, só que o sobrenome é Maranhão. Durante minha estadia senti o quanto aquele povo se orgulha de ser nordestino e não existe um nome que batize melhor os cabras nascidos neste pedaço de chão brasileiro do que Zé. Já voltando prá casa paramos pra adocicar a boca com um abacaxi delicioso e demos de cara com esse menino simpático que se chama ... Zé, o Zé Gonçalves, cuja mãe, dona da barraca se chama ...Zefinha! Vixe, como Jackson tinha razão!



Insuperáveis mineiros chilenos

Confesso que acompanhei sem muita profundidade o resgate dos mineiros chilenos e até perdi uma aposta com meu filho Guilherme ao errar a quantidade de trabalhadores soterrados na mina e felizmente resgato. Somente ontem à noite acompanhei o resgate dos últimos e umas entrevistas sobre o episódio. Nem dá pra imaginar o que eles passaram  ao longo dos meses, mas é emocionante saber que tão bem se organizaram, que prevaleceu muita solidariedade entre eles e que o homem tem sido capaz de desenvolver uma tecnologia tão avançada como a que os trouxe de volta à luz e ao convívio com seus entes queridos.

Nas entrevistas que assisti ontem me chamaram atenção duas questões. Uma sobre o custo da segurança que faltou aos trabalhadores na hora do acidente. Um engenheiro de minas afirmou que deveria haver mais de uma saída, justamente para permitir uma fuga no caso do desabamento da entrada principal. Aqui vale lembrar o que fazia Virgulino Lampião, ao nunca acampar em local que tivesse apenas uma saída de fuga, para evitar uma emboscada fatal. Pois na única ocasião em que abriu mão de sua regra defensiva, tombou junto com Maria Bonita e seu bando no Raso da Catarina. Corisco, prevenido, escapou e ainda vingou o Capitão. Voltando ao Chile, os mineiros foram vítimas da atitude mesquinha dos milionários donos das minas, que se recusam a adotar medidas de segurança para não elevar muito o preço do minério extraído e perderem competitividade no mercado internacional. Essa é uma regra do capitalismo, reduzir os custos, nem que para isso sacrifiquem vidas, explorem os trabalhadores.

Outras questão que também me chamou atenção foi justamente o custo da operação. Fala-se em 20 milhões de dólares, o que significa que a vida de cada trabalhador custou cerca de 600 mil dólares, uma merreca diante dos lucros vultosos dos patrões. Sebastian Piñera, presidente chileno, se recusou a confirmar o valor dizendo apenas que custou o necessário. Talvez tenha vergonha de admitir que a vida dezenas de trabalhadores valham tão pouco e seja obrigado a se comprometer a exigir mais segurança para os milhares de trabalhadores que se arriscam nas muitas minas do Chile. Vale lembrar que José Piñera, irmão do atual presidente, foi Ministro do Trabalho do ditador Augusto Pinochet e comandou uma reforma trabalhista que precarizou muito o trabalho nas minas chilenas. Agora, depois de ser cobrado por Luis Urzúa, o último mineiro resgatado, para evitar que aquele acidente "nunca mais aconteça", Piñera promete mudar as "condições desumanas" que seu manito impôs aos trabalhadores do seu país. Foi preciso que uma tragédia que comoveu o mundo pairasse sobre o Chile para que o presidente percebesse o sofrimento dos trabalhadores.


Mas ali estava-se diante de um acontecimento plenamente previsível que também serviu para demonstrar ao mundo de que matéria são feitos aqueles mineiros. Veja o que disse o escritor chileno Ariel Dorfman: “A epopéia dos homens que descem às trevas da montanha, separam minerais em meio à escuridão e sofrem um acidente que os deixa a mercê daquela escuridão, é parte do DNA do Chile, uma parte integral da história do meu país. O mundo maravilhou-se com a maneira pela qual os trinta e três mineiros confinados debaixo da terra de San José se organizaram em turnos, criaram uma hierarquia de mando e elaboraram um plano de sobrevivência usando os talentos e recursos acumulados ao longo de uma vida de trabalho tenaz. Eu confesso, em troca, não sentir surpresa alguma. É assim que os trabalhadores chilenos sempre resistiram e sobreviveram aos desafios mais formidáveis". Percebeu? Para o resgate foi usada a mais avançada tecnologia e até um certo improviso, mas a sobrevivência em condições tão difíceis só foi possível porque ali estava uma gente especial, gente que constrói a riqueza humana, da qual participa muito pouco, mas que é movida por um sentimento ilimitado de superação que um dia lhe permitirá tomar os ceús de assalto.



segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Diz-me com quem andas ...

O Serra gosta muito de falar da trajetória dele. O danado deu um jeito até de dizer que já recebeu mais de mais de 100 milhões de votos nas várias eleições que disputou durante uns 30 anos. Ele só não diz que a maioria dos votos que obteve não foram suficientes para elegê-lo Prefeito de São Paulo em 1996, Presidente da República em 2002 e no primeiro turno de 2010 ficou uns dez milhões de votos atrás da Dilma, que logo na primeira eleição em que disputa já tem mais de 40 milhões de votos. Agora o Serra também precisa dizer com quem se acompanhou pra chegar ao segundo turno desta eleição de 2010. A charge acima mostrar a bandidagem que acompanha o tucano e que, ao longo da história, fez sujeira de todo jeito. E olhe que tem uns cabra que só não estão acompanhando Serra porque foram parar na cadeia, como o Zé Roberto Arruda, o ex-governador do Distrito Federal, nome preferido do tucano candidato pra lhe acompanhar na chapa. Outros até estão soltos, mas não podem aparecer pra não atrapalhar mais ainda.