quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Chamando pro debate

Caro assessor de imprensa do senador, acho que é salutar fazer debate sobre todas essas questões que são levantadas, inclusive sobre a situação da Petrobrás e do próprio país. Penso que ao ver o estrago que a crise está fazendo pelo mundo a fora, quebrando empresas como a GM e até o Citi Bank, pra ficar só nessas, o que ocorre no Brasil parece bem distante do que aconteceria se tivesse prevalecido o modelo que o senador que paga seu salário defendeu e foi aplicando durante oito anos do FHC e tucanos+pefelistas. Se o distinto assessor se recordar um pouco vai lembrar que os ganhos da Petrobrás - que tentaram até mudar o nome para PETROBRAX (!!!!!), por razões ditas mercadológicas, mas verdadeiramente descaracterizadoras da identidadade nacional da maior empresa brasileira - eram muito mais no mercado financeiro do que na produção. Hoje a Petrobrás - que transformou-se numa empresa de energia, e nao apenas de petróleo - é um dos vetores do crescimento verdadeiro do pais, enquanto nos governos FHC o país parou de fato. Isso de fato incomoda o senador, afinal deve ser muito doloroso ver o Brasil, sob a direção de um governo politicamente distinto do dele, ter hoje um posição muito respeitável, soberana e ativa no cenário mundial. Isso dói na alma de alguém que imagina o Brasil servil, com um papel secundário na cena mundial. Daí porque é preciso alardear uma "denúncia"que foi respondida pelo governo através do Ministro Mantega e do próprio Presidente Sérgio Gabrielli, de quem o senador tem verdadeira ojeriza porque ousou "peitá-lo" numa reunião ocorrida a alguns anos atrás. Vocês precisam fazer oposição, mas devem ser honestos com o Brasil e os brasileiros, ao invés de fazer onda em cima de marola.

Gostaria por fim de levantar duas questões:

1. Quando era governador do Ceará, o senador Jereissati enviou uma mensagem para a Assembléia Legislativa em que dizia estarem em curso as obras de terraplanagem da companhia siderúrgica no Pecém e que já estavam em avançada negociação a instalação da refinaria de petróleo também no Pecém. Isso não passou de um blefe desse que se imagina o eterno poderoso no Ceará. Caro assessor, você já trabalhava com o seu assessorado na época? Lembra-se disso? Teria algo a dizer? Diga, porque aí poderemos alimentar este debate.

2. Diga-me também se é correto que um empreendimento comercial socorrer-se de "detalhes legais" ( não sei se achei a expressão correta, mas talvez isso não seja o fundamental) para utilizar recursos públicos a fim de promover maiores ganhos? Sendo mais objetivo, o Shopping Iguatemi está utilizando recursos captados via Lei Federal de Incentivo a Cultura para realizar sua decoração e programação natalina a fim de incrementar os ganhos na ordem de 15%, como noticiou o Jornal O POVO, no último dia 19. Você vai dizer que tudo correu dentro da lei e não tem culpa da lei permitir. Antes de vir com esse argumento cíinico, digo-lhe que a questão não é essa. Trata-se aqui de refletir se os recursos parcos destinados a cultura devem servir para ampliar o lucro de uma atividade empresarial. Se você disser que o governo que eu defendo foi quem aprovou, eu lhe digo que é mais cínico ainda, porque nessa hora você vai defender o governo e eu vou criticá-lo por não ter promovido a alteração na legislação para evitar esse tipo de distorção. Fica posta a questão, também para ser debatida. Espero que você se dê ao trabalho pelo menos de ler. Se o fizer, fico satisfeito. Se topar o debate, vamos adiante, mas adianto, ele será público.

Com respeito,

INácio Carvalho

5 comentários:

Soninha disse...

Mas bah, que cearense brabo!

Gostei de ver!

Anônimo disse...

Muito me admira esse "comunista" criticar o Tasso. E não foi o seu partido, o PC do B, que abraçou e defendeu a candidatura do então desconhecido empresário? Tenho até foto sua com adesivo do Tasso. Você teria coragem de desmentir? E recentemente aderiu a candidatura fradulenta e coronelista de Caucaia e perderam, não foi? Antes de criticar, caro "comunista" Inácio, olho para suas práticas.
E ainda... Duvido muito que vc pulique esse modesto comentário.

Inácio Carvalho disse...

Olha só, mais um anônimo!Ou será a volta do meu dedicado leitor que havia sumido? Esse é meu fã, tem até uma foto minha guardada há mais de vinte anos. Fico comovido.

Agora vamos tratar do que ele assuntou. Em primeiro lugar crítica não é defeito de ninguém. Observe que ao final assino o email ao assessor de imprensa do senador "com respeito". Amigos de verdade também fazem críticas uns ao aos outros, de forma fraterna, aberta, sem se esconder. E quem não faz autocrítica sempre corre riscos de repetir erro.

Pois é essa uma das razôes, senhor Anônimo (gostaria tanto de tratá-lo respeitosamente pelo nome) que me permitem fazer críticas ao senador. Meu partido o apoiou naquele momento sim, quando ele significou um avanço para o estado do Ceará. Mas soubemos, os comunistas, o momento em que o projeto mudancista se esgotou, mas teve gente, outras forças políticas, que quiseram apoiá-lo depois que ele já não tinha muito com que contribuir. Não desminto, confirmo e justifico, politicamente. Caucaia foi também uma decisão política, o que se apresentou como novidade disso não tinha muito, mas tinha o apoio do senador "dos olhos de ardósia", como o batizou meu conterrâneo Macário Batista, que trouxe até o Aécio Neves para apoiá-lo. E veja só, o PT se meteu nessa roubada da novidade e depois ficou tão encabulado que pulou fora e ainda não elegeu ninguém. Quanto ao PCdoB haver perdido lá, você precisa saber qual foi mesmo o resultado da eleição em todos os seus aspectos.

Bom, publicado e respondido seu comentário, continuo aguardando o debate, seja seu, seja do seu colega que assessora o senador. As questões estão abertas.

Sérgio disse...

Carvalho, rapaz, deixe de cair nessa provocação. Esse aí deve ser o próprio assessor do Tasso Jereissati que não tem coragem de se apresentar e muito menos de debater. Não perde teu tempo com esse povo não, cara. Eles nunca vão responder porque não têm como. Teu blog é muito legal, sinto falta de mais coisa, mais textos. Tu tá preguiçoso.

Inácio Carvalho disse...

Sérgio, eu lhe agradeço a "preocupação" mas gosto de polêmica. E da crítica também, me faz ter mais certeza ou mudar de idéia. Quem quer que seja o moço aí, tá me fazendo é bem. Ainda mais quando o cara é meu fã de fotografia.

Eu também sinto falta de mais coisas, mas ando sem tempo. Durante as férias - parece que dessa vez eu terei umas bem legais, depois de muito tempo - vou aprender mais macetes de blogueiro e me organzizar melhor.