sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Uma mulher de dignidade infinita

"Todos se lembram da imagem do rapaz chinês enfrentando os tanques na Praça Tiananmen, em 1989. A imagem correu o globo, em parte porque interessava ao mundo ocidental mostrar as (mui reais, diga-se) violações dos direitos humanos na China. Os incontáveis heróis populares palestinos -- e, muito especialmente, suas heroínas -- não têm a mesma sorte, dado o interesse das potências ocidentais em esconder sua cumplicidade com a política de limpeza étnica de Israel.

Vejam a determinação com que essa mulher enfrenta, de peito aberto, à frente de uma população desarmada, as baionetas do exército sionista de ocupação. Vejam a determinação nos seus olhos. Vejam como os soldados da ocupação evitam o contato visual, envergonhados, desumanizados pela tarefa de verdugos".

Esse vídeo e o texto acima eu recebi do meu camarada Luis Carlos Paes, presidente do PCdoB de Fortaleza e não ouso acrescentar mais nada, só peço lhe que assista.

2 comentários:

fernanda disse...

Tudo muda quando se está cara a cara.
Por mais simplista que possa parecer, é preciso lembrar que nas guerras morre gente de carne e osso, gente como a gente.

Inácio Carvalho disse...

Isso mesmo Fernanda, cara a cara a coisa é diferente, ainda mais quando quem encara é alguém com muita fibra, muita dignidade e com uma causa mais do que justa.